Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas da Parvoeira

Quando a parvoíce existe em demasia, a partilha é inevitável.

Crónicas da Parvoeira

Quando a parvoíce existe em demasia, a partilha é inevitável.

31.Dez.20

A Resolução das Resoluções de Ano Novo

O Cronista da Parvoíce

glenn-carstens-peters-190592-unsplash-800x430.jpgAno novo, vida nova e… resoluções antigas! Resoluções que tinha jurado concretizar o ano passado, e as mesmas do ano anterior, mas como sempre ficaram pela intenção. Eu tento. É verdade! E esforço-me para isso. A prova é que nunca falho com os deveres de fim de ano! O facto de comer sempre as 12 passas é demonstrativo do meu esforço, visto que detesto aquilo. Até cumpro escrupulosamente os códigos cromáticos da roupa interior, mas o resultado é sempre o mesmo. Não dá resultado. Este ano estou indeciso em não colocar nenhuma, assim deixo todas as possibilidades em aberto ou meter cuecas multicolor. A verdade é que, e como qualquer pessoa, não preciso especificamente de amor, dinheiro ou saúde, mas um pouco de todas.

20191231124635_860_645_-_ano_novo.jpg

Gosto muito da Passagem de Ano, mas há coisas que poderiam ser evitadas, como a pirotecnia. Não gosto muito de foguetes e da barulheira que fazem. E o cão, o Lion, também não gosta. O ano passado ficou tão apavorado que pela primeira vez em 4 anos deixou-me dar lhe uma festa sem me tentar comer a mão! Por muito que goste de dar festas ao Golias sem temer pelas minhas mãos, ou qualquer outro membro, não percebo qual é a necessidade dos lançamentos constantes. Dá-me a sensação que estamos a festejar o Novo Ano em todos os fusos horários.

Voltando às resoluções, que por norma variam entre perder peso e/ou ir ao ginásio, deixar de fumar, aprender coisas novas, viajar mais e poupar mais dinheiro. Há quem tenta concretizá-las todas e outras que apenas ambiciona o sucesso de uma delas. Eu incluo-me na segunda categoria, não por falta de força de vontade, é bocadinho por isso, mas também por achar que é tecnicamente impossível concretiza-las todas. São totalmente incompatíveis. Se deixar de fumar, não vou perder, mas sim ganhar peso. É verdade que vou aprender coisas novas e viajar mais com as idas ao ginásio, mas em caso algum vou poupar mais, visto que terei de pagar a mensalidade. É por isso que aposto na solução última, a resolução das resoluções: Este ano não vou ter resoluções.

Estou farto de é prometer fazer o que prometi fazer há 3 anos e não consegui fazer o ano passado, nem anterior e que também não farei nos anos seguintes. Assim, não tendo resoluções pode ser que alguma delas se concretiza. Mas pensando bem, se não ter resoluções é uma resolução, então é mais uma resolução que provavelmente não irei conseguir. Woooooooh. Isto foi “mind blowing”! Fiquei todo baralhado! Zonzo até! É melhor sentar-me! Mas antes vou levantar-me! Não acho muito pratico escrever em pé! Já está! Levantei-me e depois sentei-me! E agora? Como resolvo isto?

Já sei! Vou passar este ano a pensar na resolução, assim quando chegar a próxima passagem de ano, estarei preparado.